Linguagem, estilo de época e estilo individual

Amor e medo (Casimiro de Abreu)

Ai! Se eu te visse no calor da sesta.
A mão tremente no calor das tuas
Amarrotado o teu vestido branco,
Soltos cabelos nas espáduas nuas!

Ai! Se eu te visse Madalena pura.
Sobre o veludo reclinado a meio,
Olhos cerrados na volúpia doce,
Os braços frouxos - palpitante o seio!...

Ai! Seu eu te visse em languidez sublime,
Na face as rosas virginais do pejo,
Trêmula a fala a protestar baixinho...
Vermelha a boca, soluçando um beijo!...

Diz: - que seria da pureza d'anjo,
Das vestes alvas, do candor das asas?
- Tu te queimaras, a pisar descalça,
- Criança louca, - sobre o chão de brasas!

----------------

Madrigal tão engraçadinho (Manuel Bandeira)


Teresa, você é a coisa mais bonita que eu vi até hoje na minha vida, inclusive o porquinho-da-índia que me deram quando eu tinha seis anos.

----------------

Não ames (Joaquim Manoel de Macedo)

Mulher, irmã, escuta-me, não ames,
Quando a teus pés um homem terno e curvo
Jurar amor, chorar pranto de sangue,
Não creias não, mulher: ele te engana!
As lágrimas são galas da mentira
E o juramento manto da perfídia.

----------------

Tradução (Manuel Bandeira)


Teresa, se algum sujeito bancar o sentimental em cima de você
e te jurar uma paixão do tamanho de um bonde,
se ele chorar,
se ele se ajoelhar,
se ele se rasgar todo
não acredita não, Teresa,
é lágrima de cinema.
É tapeação, mentira.
CAI FORA!

----------------

Vem sido difícil encontrar links e fontes que condizem com as informações que preciso, nem em sites grandes pude encontrar os poemas que lemos na aula, estranho isso...

Adoro Manuel Bandeira... xD


0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é importante!! =D

Sobre mim!

Juliana Fernandes, estudante de 18 anos com sérios problemas mentais, inaugura seu 123343º blog, desta vez com o intuito de reunir o máximo de informação possível para o vestibular (e coisas mais!)
Junto ao seu fiel parceiro invisível, sem nome e inexistente, ela continua sua árdua tarefa de manter-se atualizada para não levar mais tapas da profª de Matemática de Pinhal City, a roça!!
Não perca o próximo capítulo dessa incrível aventura!!


"Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento."

- Clarice Lispetor


Tigrão do zoo de São Paulo!
Tecnologia do Blogger.

Seguidores~

Pesquisar...