Medidas Físicas - Idade Média e Renascença

Os pesos e medidas usados nas civilizações antigas eram levados a outras através do comércio ou da conquista. Assim, no início da Idade Média, as unidades adotadas eram as dos romanos, o último e maior império da Antiguidade, que levaram-nas por toda a Europa, oeste da Ásia e África. Sem dúvida os mais usados eram ainda aqueles das dimensões humanas. Obviamente eram necessárias medidas mais precisas para certas atividades, como no caso das construções bizantinas e árabes.

Esses povos certamente possuíam seus padrões de pesos e medidas, embora Alinhar ao centrofossem diferentes para cada região. Ao que tudo indica, nenhum padrão foi criado em termos nacionais, até que na Inglaterra Ricardo I determinou unidades para comprimento e capacidade. Estas eram de ferro e mantidas em várias regiões do país por autoridades regionais com o objetivo de comprovar a veracidade de uma medida. Datam desta época a jarda e o galão, até hoje usados pelos países de língua inglesa.



Várias versões existem para explicar o aparecimento da jarda: no norte da Europa, supõe-se que era o tamanho da cinta usada pelos anglo-saxões e no sul seria o dobro do comprimento do cúbito
dos babilônios. Seu valor também pode ter sido determinado por Henrique I, que teria fixado o seu comprimento como sendo a distância entre o seu nariz e a ponta de seu braço esticado.

Informações como esta provavelmente não carecem de verdade, pois a maioria dos padrões da Idade Média era realmente criada pelos soberanos, primeiros interessados nas medidas dos valores de seus reinos.

Os pesos padrões eram aqueles dos povos antigos conforme a região, em geral mantendo o grão como unidade fundamental. Em algumas regiões europeias, continuava o uso do sistema "avoirdupois" nas transações comerciais. Para o comércio de joias e pedras preciosas, que exigia processos de medidas mais delicados, era usado o sistema "troy", cujas unidades eram:

Grão (gr.)
Pennywight (dw.t)
Onça (oz.t)
Libra (lb.t)

Para pedras preciosas, a unidade era o quilate, que equivale aproximadamente a 4 grãos.
De todos os padrões de pesos e medidas criados, nenhum conseguiu uma utilização internacional e homogênia, existindo ainda aqueles remanescentes da Antiguidade. A situação se tornava mais delicada e confusa devido a reprodução inexata, erros de interpretação e desonestidade de alguns.

O mesmo não aconteceu com as medidas de tempo que já haviam sido padronizadas por Júlio César, sendo seu calendário adotado em toda a Europa. Ainda devemos lembrar que nas invenções do fim da Idade Média e Renascença eram adotados padrões cautelosos, pois se tratava de uma nova atividade e podia ser muito bem controlada.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é importante!! =D

Sobre mim!

Juliana Fernandes, estudante de 18 anos com sérios problemas mentais, inaugura seu 123343º blog, desta vez com o intuito de reunir o máximo de informação possível para o vestibular (e coisas mais!)
Junto ao seu fiel parceiro invisível, sem nome e inexistente, ela continua sua árdua tarefa de manter-se atualizada para não levar mais tapas da profª de Matemática de Pinhal City, a roça!!
Não perca o próximo capítulo dessa incrível aventura!!


"Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento."

- Clarice Lispetor


Tigrão do zoo de São Paulo!
Tecnologia do Blogger.

Seguidores~

Pesquisar...